C
 
 

 

SABER MAIS
.

Saiba mais sobre o tabagismo:

As primeiras páginas do livro.
 
Você pode
COMPRAR AGORA!
Versão impressa:
R$ 38,20
Versão ebook:
R$ 12,92
de 22 a 26 de junho
PROMOÇÃO
Por R$ 34,38
 
Curta a PÁGINA no FACEBOOK.
“NÃO IMPORTA
QUEM ACENDEU O CIGARRO,
E SIM, QUEM INALOU A FUMAÇA”.

 
NÃO DEIXE
PARA DEPOIS.
O MOMENTO
É ESTE!
Versão impressa:
R$ 38,20
Versão ebook:
R$ 12,92
NICOTINA
Nicotina é o nome dado a um alcaloide básico obtido da planta Nicotiana tabacum. É uma substância líquida e de cor amarelada, que constitui o princípio ativo do tabaco. Em determinadas e pequenas proporções, a nicotina age sobre o cérebro, estimulando-o, o que causa uma liberação de adrenalina e de emoção. Em grandes quantidades, porém, exerce o efeito contrário, bloqueando essas ações no organismo, e sendo essa proporção maior a causa de sua toxicidade também.
DROGAS ADICIONADAS
O cigarro é uma droga lícita, isto é, legalizada. Ele contém nicotina e muitas outras drogas que são adicionadas ao fumo.
Diversos produtos são adicionados ao cigarro pelas indústrias fabricantes com o intuito de causar maior dependência química. Aditivos são também utilizados para mascarar o gosto da fumaça provocada pela queima do papel.
Os cigarros com baixo teor de alcatrão e nicotina são mais danosos à saúde. Por serem fracos, existe a tendência de fazer tragadas mais intensas e profundas. Isso provoca a ingestão de grandes quantidades das substâncias tóxicas agregadas. Os riscos à saúde são assim maiores.
Comprovadamente, além da nicotina, são encontradas mais de 4.700 substâncias tóxicas na fumaça do cigarro. Elas são originárias dos ingredientes que compõem o tabaco, mais os produtos químicos utilizados no processamento do tabaco, desde o plantio até a industrialização. Além disso, a indústria do fumo adiciona outras drogas a fim de garantir a manutenção do vício dos fumantes e, assim, do seu lucro. O fumante é dependente do cigarro e a indústria de cigarros é dependente do fumante.
TABAGISMO É DOENÇA?
Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), sim! Durante muito tempo o ato de fumar foi erroneamente interpretado como um estilo de vida, tendo sido reforçado significativamente pela propaganda. Hoje existe o entendimento de que o tabagismo é uma doença resultante da dependência à nicotina. A OMS classificou o vício de fumar ou a dependência ao fumo como uma doença do grupo de "Transtornos Mentais e de Comportamento", CID-10-F17.2-CID, pelo código da Classificação Internacional de Doenças.
FUMANTE PASSIVO
Os problemas do fumante passivo são muito mais graves do que apenas o cheiro que impregna as roupas e o cabelo. O fumante passivo corre tantos riscos quanto o dependente em tabaco. Para quem é obrigado a conviver com a fumaça do cigarro dos outros, o risco pode ser muito maior do que para o próprio fumante.
ESTATÍSTICAS
Segundo estudos, cerca de 70% dos fumantes usam o cigarro como uma forma de aumentar a concentração ou diminuir a ansiedade. Os que se comportam dessa maneira têm uma dificuldade maior de parar de fumar. O sucesso dos que resolvem parar pode ser assim descrito:
- 5% têm êxito por conta própria.
- 20% chegam ao sucesso com ajuda de terapia.
- 70% param de fumar com a utilização de medicamento e acompanhamento terapêutico.
- 5%, completando a estatística, não conseguem parar de fumar, infelizmente, por nenhum método.